Todo Dia: Cirurgia errada gera indenização

Todo Dia: Cirurgia errada gera indenização

Todo Dia: Cirurgia errada gera indenização


Autor:
Figueiredo & Ferreira
Publicado em:
06-04-2015 00:00:00
Atualizado em:
19-02-2016 21:59:06

indenizaçãocirurgia erradadireito médicoerro médico


O TJ (Tribunal de Justiça) de São Paulo manteve decisão da Justiça de Campinas e condenou o Campinas Day Hospital a pagar uma indenização de R$ 100 mil para a representante comercial Clarice Bonella, 47. Em 2005, ela foi operar o joelho esquerdo, mas saiu da sala de cirurgia com as duas pernas operadas. Ainda cabe recurso no STJ (Superior Tribunal de Justiça).

Ao ter a aprovação do plano de saúde para operar o joelho esquerdo no Campinas Day Hospital, Clarice sofreu a mesma cirurgia no membro direito, sem autorização, enquanto estava anestesiada.

De acordo com a decisão, a partir do momento em que a entidade permite a realização da cirurgia, passa a ser responsável pelos eventuais danos causados ao paciente e tem a obrigação ética e moral de atender.

Menisco

A representante comercial tinha um problema no menisco do joelho esquerdo, e depois de alguns exames, foi indicada uma pequena cirurgia para que o problema fosse resolvido. Até então, o joelho direito nunca tinha apresentado nenhum tipo de enfermidade.

Segundo Thomás Figueiredo, advogado que defende a vítima, a cirurgia deveria ser realizada somente em seu joelho esquerdo; porém, realizou-se em ambos os joelhos, não havendo qualquer autorização dela ou de seu plano de saúde para que o membro direito também fosse operado.

“Seu joelho desnecessariamente operado apresentou, após a cirurgia, um derrame e um cisto. Ou seja, o procedimento cirúrgico em ambos os joelhos, em um só dia, contrariou as recomendações existentes na prática médica. Isso causou à minha cliente danos muito maiores relativos à sua própria recuperação, transtornos e incômodos diários”, explicou o advogado.

O hospital foi procurado ontem à tarde para comentar o caso, e a atendente informou que a diretoria estava em um reunião e pediu para que fosse deixado o telefone de contato. Até o fechamento da edição, não houve nenhum retorno aos questionamentos.

FONTE: http://portal.tododia.uol.com.br