Ministério da Economia do Brasil toma decisões em função da pandemia mundial

Ministério da Economia do Brasil toma decisões em função da pandemia mundial


Autores:
Figueiredo & Ferreira


Devido a pandemia que assolou o mundo, o Ministério da Economia do Brasil tomou medidas em função do Covid-19, confira quais foram:

– Cerca de R$147,3 bilhões foram injetados na economia, sendo que a maior parte (R$83,4 bilhões) serão direcionados para a população mais idosa e quase R$60 bilhões para a manutenção de empregos.
– Para dar mais capital de giro para as empresas, o governo suspendeu por três meses o prazo para empresas pagarem o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e também a parte referente à parcela da União no Simples Nacional;
– As contribuições devidas ao Sistema S sofrerão redução de 50% por três meses para não afetar o caixa das empresas;
– O governo antecipou a segunda parcela do 13º salário de aposentados e pensionistas do INSS para o mês de maio. Antes, já havia sido anunciado que a primeira parcela seria antecipada para abril;
– Os valores não sacados do PIS/Pasep serão transferidos para o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para permitir novos saques e movimentar a economia;
– O pagamento do abono salarial será antecipado para junho;
– Para reforçar a Saúde, o governo vai destinar o saldo do fundo do DPVAT para o Sistema Único de Saúde (são mais R$ 4,5 bilhões);
– O IPI para bens produzidos internamente ou importados, necessários para o combate do Covid-19, foi suspenso temporariamente.

Essas e outras ações foram tomadas para conter os efeitos provocados pela pandemia do novo Coronavírus. Acompanhe nosso blog, em breve mais informações sobre as mudanças decorrentes do COVID-19.

(Fonte: Agência Brasil)