Contratos de Desenvolvimento e Implantação de Websites com CMS

Contratos de Desenvolvimento e Implantação de Websites com CMS

Contratos de Desenvolvimento e Implantação de Websites com CMS


Autor:
Dr. Fernando Yamada
Publicado em:
09-02-2015 00:00:00
Atualizado em:
19-02-2016 21:59:06

contrato de desenvolvimento de websitecontrato de implantação de websiteDireito Digital


contratos-de-desenvolvimento-e-implantacao-de-websites

Um website deve transmitir dinamismo através de constantes atualizações para “fidelizar” o visitante, o que abre a possibilidade de diversas oportunidades de negócios e contatos.

Este dinamismo na atualização do website tornou-se possível através do desenvolvimento e disponibilização de Sistemas Gerenciadores de Conteúdo, também conhecidos como CMS (Content Management System), na qual uma pessoa, sem conhecimentos técnicos avançados de programação, poderá atualizar o conteúdo do website a qualquer hora e em qualquer lugar aonde haja acesso a Internet.

A utilização de um CMS possibilita que o website esteja sempre atualizado, sem a necessidade de contatar o desenvolvedor do website para que efetue a alteração solicitada. Isto faz com que o proprietário do website não fique “refém” do desenvolvedor, visto ser ocorrência comum nos dias de hoje que uma alteração seja efetuada em semanas ou até meses após a solicitação, isto se for efetuada.

Imagine um palestrante que utilize seu website como principal meio de divulgação de suas palestras e que o website não possua um CMS. O prejuízo é evidente, por si só, caso, por exemplo, ele agende uma palestra para daqui duas semanas e o técnico não atualize o website para fazer constar esta palestra.

Vários CMS também possibilitam a definição de níveis de acesso. Algumas pessoas podem ter acesso a todos os recursos do CMS, para atualizar ou modificar o website inteiro (nível master/administrador).

utras, entretanto, podem ter acesso mais limitado, podendo apenas atualizar o conteúdo de determinada área do website. Por exemplo, o responsável por um jornal online pode definir que o editor da área de economia possa atualizar, inserir ou modificar artigos e matérias somente na página de economia do website.

Com os níveis de acesso, a segurança do website é mais reforçada, visto que uma pessoa não poderá ter acesso a todas as áreas do website se não obtiver permissão do administrador. Desta forma, a pessoa responsável por uma área do website não poderá interferir em outras áreas, modificando o conteúdo ali existente.

Entre os CMS mais conhecidos no mercado, podemos destacar o Joomla, WordPress e Drupal, para websites institucionais e o Magento e OsCommerce, para websites de e-commerce, todos gratuitos e com disponibilização constante de novas funcionalidades, através de comunidades nacionais e internacionais de cada CMS, formados por pessoas que buscam sempre aprimorar seus recursos.

Além dos CMS gratuitos, inúmeras empresas nacionais e internacionais desenvolvem e colocam a venda seus próprios CMS, cada um com suas particularidades.

A maior desvantagem na utilização dos CMS é que o layout do website deve ser ajustado à plataforma (espaço) do CMS. Desta forma, a liberdade de criação do layout do website é restringida.

Entretanto, algumas empresas oferecem a possibilidade contrária, qual seja, o desenvolvimento de um CMS cuja plataforma é adaptada a um layout.

Conforme já mencionado, a liberdade de criação do layout do website é restringida para que seja ajustado ao CMS. Isto gera conflitos com o contratante, visto que este, na maioria dos casos, quer um layout extremamente sofisticado e personalizado e não tem conhecimento da complexidade do ajuste do layout ao CMS e que este ajuste implica em restrições ao layout.

Desta forma, é recomendável efetuar o seguinte feedback com o contratante antes do início de seu desenvolvimento:

1. Coleta de informações com o contratante sobre a disposição dos elementos no website:
É preciso definir a disposição dos elementos (imagens, figuras, textos, banners, botões) no website.

2. Informação de restrições:
Este é o momento de informar ao contratante quais são as restrições de layout necessárias para a implantação do CMS. É prática comum a contratada dar início ao trabalho sem informar o contratante destas restrições, fazendo com que o contratante crie objeções quando da apresentação do layout, querendo que determinados elementos estejam em outro lugar.

3. Apresentação de um desenho do layout
É recomendável que a contratada apresente ao contratante um desenho de como ficará o layout, mostrando a posição dos elementos (imagens, figuras, textos, banners, botões) e os espaços de atuação da plataforma do CMS. Aprovado o desenho, tem início a fase de desenvolvimento.

Com relação ao contrato de desenvolvimento de website com CMS, há cláusulas especiais a serem inseridas:

1. Treinamento do contratante: O contratante deverá selecionar uma ou mais pessoas com adequado conhecimento em informática, para que sejam treinadas no uso do CMS. Uma destas pessoas deverá ser o master/administrador do CMS, que irá definir os níveis de acesso de cada usuário às funcionalidades do CMS. É importante que, no treinamento, seja fornecido o manual de instruções de uso do CMS.

2. Responsabilidade pela senha de acesso: a senha de acesso ao CMS é pessoal e intransferível, devendo seus usuários zelarem pela sua segurança, evitando fornecê-la para terceiros não autorizados ou anotá-las em locais de fácil acesso por terceiros.

3. Responsabilidade pela má-utilização: deverá constar que a contratada não se responsabilizará pelos atos praticados por qualquer pessoa pela má-utilização do CMS. Entende-se por má-utilização qualquer procedimento efetuado pelo contratante de modo diferente do que foi ensinado em treinamento.

4. Conteúdo: deverá constar que a contratada não se responsabiliza por qualquer conteúdo inserido no website pelo contratante.

5. Atualização: deverá constar que a atualização do website é de responsabilidade do contratante, não se responsabilizando a contratada por qualquer alteração do layout ou perda de conteúdo decorrente da atualização. É recomendável que, no ato de entrega da versão final do website com o CMS, seja efetuada a captura de todas as telas do website, para comprovação de qualquer modificação do website, pelo contratante, após a entrega.

6. Manutenção: A manutenção poderá ser de natureza corretiva, para solução de erros ou defeitos encontrados no website e no CMS, ou evolutiva, abrangendo a inserção de novas funcionalidades ou disponibilização de novas versões do CMS. Caberá as partes definir se haverá prestação de serviço de manutenção e qual será a sua natureza (apenas corretiva, apenas evolutiva ou corretiva e evolutiva).

Cumpre ressaltar que a manutenção é distinta da atualização e o contratante deverá estar plenamente esclarecido desta distinção no momento da contratação. É comum a situação do contratante não conseguir operar o CMS e querer incluir a atualização do conteúdo na manutenção.

Estas são algumas das medidas necessárias para que as expectativas do contratante e da contratada sejam plenamente satisfeitas numa contratação que tenha por objeto o desenvolvimento e implantação de website com CMS.